Você está navegando em
22 de maio de 2019
Laborclin

Uriclin

<?php the_title(); ?>

tradição e efetividade na análise da urina

O Uriclin é um método composto por tiras reagentes destinadas à análise de características físicas e químicas de amostras de urina. As tiras reagentes de Uriclin apresentam áreas que assumem modificações de coloração que permitem visualmente a quantificação dos parâmetros avaliados e auxiliam diversos estados patológicos e fisiológicos, como a diabetes, icterícias de origens diversas e infecções no trato urinário, enfermidade que atinge cerca de 80% das mulheres.

Uma das vantagens do Uriclin é conseguir estabelecer diferenças entre infecção urinária e contaminação da amostra, além de efetuar o cálculo de bactérias. A tira reagente do Uriclin é imersa na amostra de urina não centrifugada, sendo o excesso de amostra removido com o uso de uma toalha de papel absorvente. As leituras visuais são feitas por comparação com a escala do frasco, dentro dos tempos indicados na mesma. 

O Uriclin é destinado apenas para diagnóstico in vitro e seu uso é exclusivo para profissionais em análises clínicas.

As responsáveis: Bactérias

          Cerca de 85% das infecções urinárias são causadas pela bactéria chamada Escherichiam coli. Os principais sintomas da enfermidade são dor ou queimação ao urinar, dor próxima a região do púbis e vontade de urinar várias vezes em quantidades pequenas. Para evitar a doença é indispensável a ingestão de muito líquido, não segurar a urina por um longo período e realizar a higienização correta da região genital.

          Ao contrário do que muita gente pensa, crianças também são acometidas por infecções urinárias. Segundo dados da Campbell Urology, no mundo todo, 10 a 15% das crianças de até 6 anos de idade já contraíram a enfermidade. Além disso, dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), apontam que 50% das mulheres serão acometidas pela doença pelo menos uma vez na vida.

           As vítimas da doença são na maioria das vezes mulheres por conta de uma questão anatômica. As mulheres têm a uretra mais curta (cerca de 4 cm), fator que faz os riscos de contrair a bactérias vindas do próprio intestino aumentar. É necessário que ocorra o acompanhamento médico caso a mulher apresente mais de 4 infecções urinárias no ano.

            
Cadastro de Newsletter
© 2020 - LABORCLIN - CNPJ: 76.619.113/0001-31 - Todos os Direitos Reservados